A meia noite

de Dorian Anderson Soutto

 



 

Estava lendo um destes livros sobre "propósitos, vitórias e CIA" e encontrei a seguinte frase:

"Você não é quem você pensa que é, mas o que você pensa, isto você é!".

Confesso que tive que pensar em que eu penso para pensar diferente do que ele pensa na frase acima citada.

Eu penso que nós somos o que Deus diz que somos e não o que penso que sou.

Sou salvo, remido, comprado, sou um com o Pai, eleito, perdoado, sacerdócio real, filho amado; sou cooperador e sou perseguido. Sou refugo do mundo, e escória de tudo. Sou também o tão falado e pouco entendido "Mais que vencedor".

Está me parecendo meio egoísta isto, então vamos usar o "somos":

Somos um só pão, um só corpo;
Somos o aroma de Cristo;
Somos consolados por Deus;
Somos transformados de glória em glória;
Somos embaixadores por Cristo;
Somos filhos da livre e não da escrava;
Somos santuário do Deus vivo;
Somos feitura Sua;
Somos filhos do dia; não da noite e nem das trevas;
Somos infiéis, embora Ele permanece fiel;
Somos da verdade.

Somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desesperados...
Somos o que somos, não porque pensamos que somos, mas por Ele dizer que somos.

Existe uma infinidade de outras coisas que a palavra de Deus diz direta e indiretamente que somos. Deus disse que sou perdoado e sendo assim, nem sempre serei o que exatamente penso ser mas o que Deus disse que sou, pois nem sempre penso que sou perdoado.

Um dos problemas é que ligo "pensar" com "sentir", e isto acabava me fazendo lembrar do que Deus já se esqueceu. Se cometer um erro, não consigo acreditar que segundos depois deste erro eu posso ser perdoado mediante arrependimento e confissão diante de Deus. Embora eu faça isto, saio dali com a sensação de que ainda estou em divida, como se precisasse fazer mais alguma coisa para pagar tal delito.

O fato de eu pensar que não fui perdoado, não mudará o fato que Deus me perdoou. Logo vem o esquecimento do delito, então sinto-me perdoado, mas a realidade é que Deus já tinha perdoado-me há muito tempo.

Pensar que depende de mim ser o que penso, traz-me insegurança. Terei que ficar lutando contra meus pensamentos e isto gera desconforto, dúvida e medo.

E com certeza logo virá a frustração.

Independente do que penso, quero crer naquilo que Deus diz que sou. Isto sim me tranqüiliza.

Quero ser como Abraão, ou seja, "Crer contra a esperança"(RM 4:18).

Percebo o perigo de uma certa ênfase no que pensamos esquecendo do que Deus pensa. Este método traz a glória ao homem, pois vence quem pensa melhor.

Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia; e outra vez: O Senhor conhece as cogitações dos sábios, que são vãs. Portanto ninguém se glorie nos homens... (1 Cor 3:19-21)

Temos um exemplo na história do nosso povo, vamos lá para Êxodo 12:

Estamos dentro de uma casa, não deve ser muito grande devido a condição precária do povo.

Moisés tinha passado e alertado que o anjo da morte passaria e mataria todos os primogênitos, menos os que tivessem em uma casa com a marca de sangue nos dois umbrais do lado de fora. A noite chegou, trouxe junto as trevas. Dentro da casa uma família tomada pelo medo apenas aguarda em silêncio, olhando para os olhos uns dos outros, olhos amedrontados, olhos na porta.

Exatamente à meia noite o Anjo da morte começa a passar sobre as casas, o silêncio é rompido por gritos de terror, e fez-se grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto. A morte veio desde o filho do Faraó até aquele que se encontrava no cárcere.

Fico a imaginar a condição daqueles primogênitos dentro daquela casa.

Eles não podiam ver o sangue do lado de for a. Quantos pensamentos poderiam ter vagado em suas mentes:

- Será que a quantidade de sangue foi suficiente?
- E se ele não vir a marca?
- E se Deus se lembrar daquele pecado horrível que cometi?
- E se Moisés não explicou direito?

A lição preciosa que aprendo aqui é que a segurança não estava no que eles pensavam ou deixavam de pensar; a segurança estava no sangue do cordeiro seguido da promessa de Deus: "Porque o Senhor passará para ferir aos egípcios; e, ao ver o sangue na verga da porta e em ambos os umbrais, o Senhor passará aquela porta, e não deixará o destruidor entrar em vossas casas para vos ferir".

Eu poderia gritar de pavor, chorar, implorar, ou apenas aguardar, que não faria diferença alguma quanto a minha salvação. Deus tinha dito que eu seria salvo pelo sangue e ponto final.

Louvado seja o nome de nosso Deus que minha alma pode encontrar descanso em suas palavras. Independente do que eu sinta, pense ou faça, Deus não mudará Seus desígnios. Basta eu crer!

Meu fundamento não pode ser posto sobre o que penso ou o que sinto, mas sim sobre a palavra de Deus. E isto se chama fé!

- Para onde iremos se Tu tens a palavra de vida eterna? Porque eu sou o Senhor; falarei, e a palavra que eu falar se cumprirá. (Ez 12:25)

A meia noite pode chegar, o grito de terror me amedrontar, mas não me impedirá de encontrar com meu Senhor.

Não me impedirá de caminhar. Sob sua palavra eu lançarei.

Em Isaías 26:3 a palavra diz: "Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti". A paz que sinto não está firmada no que eu penso de mim mesmo, mas do que eu penso do meu Senhor.

Quantas "meias noites" vieram, eu temi, e tremi, mas sob Sua palavra fui protegido.

Outras "meias noites" virão. Será que meu coração aprenderá a descansar em Suas palavras?

Como é difícil para meu coração apenas aquietar-se olhando para a grandeza daquele a qual eu sirvo. Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra... (Sl 46:10);

Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor. A este está posta a minha segurança. Pois o justo é arrebatado da calamidade, entra em paz; descansam nas suas camas todos os que andam na retidão. (Is 57)

Quero descansar! Não posso ficar me apoiando em meu próprio entendimento.

Confie no Senhor de todo o seu coração, e não te apoie em seu próprio entendimento. (Pv 3:5 NVI)

 

 

 

Copyright © 2005 Dorian Anderson Soutto. Todos os direitos reservados.