Depois que ele atendeu o chamado

de Germana Downing

 



 

Aconteceu que, ao apertá-lo a multidão para ouvir a palavra de Deus, estava ele junto ao lago de Genesaré; e viu dois barcos junto à praia do lago; mas os pescadores, havendo desembarcado, lavavam as redes. Entrando em um dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da praia; e, assentando-se, ensinava do barco as multidões. Quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao largo, e lançai as vossas redes para pescar. Respondeu-lhe Simão: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos, mas sob a tua palavra lançarei as redes. Isto fazendo, apanharam grande quantidade de peixes; e rompiam-se-lhes as redes. Lucas 5:1-6

Simão Pedro devia estar preocupado, frustrado e cansado. Passar a noite jogando redes, puxando de volta, jogando de novo, sem nada pegar não é apenas exaustante. Deve ser desesperador. Uma família para alimentar, contas e impostos a pagar, sem falar na própria manutenção do barco. Tudo isso devia estar pesando no coração dele.

Mas este ponto do evangelho abre nossos olhos para um pequeno detalhe, que porém tem grande valor: Quando Jesus “acabou de falar…”, diz o versículo 4.

Jesus tinha uma agenda. Aquele era um dia no qual muitas pessaos O estavam procurando, interessadas em ouvir a Palavra de Deus. Pedro provavelmente tinha outras prioridades.

Mas, apesar disso, ao receber o pedido de ajuda de Jesus, que estava sendo imprensado pela multidão, Pedro não respondeu: “Senhor, sinto muito, mas estou exausto, e, caso não tenha notado, estou de saída!”

Nem tampouco o ouvimos perguntar “Quanto me pagas, para que eu lhe alugue o meu barco como palanque?” Afinal de contas, ele precisava de dinheiro!

Não. Ele simplesmente entra novamente no barco, e na água. E Jesus faz o que precisava ser feito: ensinar o povo.

E Nosso Senhor, “quando acabou de falar”, recompensou Pedro. Com a palavra de Jesus, que tem poder sobre a natureza, Pedro pegou tanto peixe, que as redes quase se rompiam de tão pesadas.

Vale ressaltar que Pedro, ao ouvir o comando de Jesus para jogar as redes novamente para pescar, poderia ter se recusado, pois se Jesus entendesse de pescaria, não acharia que poderia se pegar peixes num local que há pouco estava tão movimentado. Mas, “sob a palavra de Jesus”, ele lançou as redes novamente. E “Voilá!” Lucro record!

Esta história narrada em Lucas 5:1-11 é um estímulo à nossa fé, e um encorajamento a ir de encontro à razão (coisa que Deus adora fazer!). Pedro tentou, tentou pegar peixes com seus próprios esforços, sem sucesso. Jesus chegou e lhe pediu para fazer algo para Ele, para ajudar o Reino. Pedro fez. E o Senhor disse a Pedro: “Agore pesque sob a minha palavra”. E um milagre aconteceu!

Quantas vezes tentamos fazer os negócios darem certo, ou dar uma volta por cima na carreira, e parece que tudo vai por água baixo? Quantas vezes queremos ver aquela pessoa se converter, aquela outra crescer, mas estas coisas acabam tomando tanto do nosso tempo, e não dando resultado algum.

Então o Senhor nos chama, muitas vezes por meio de outra pessoa, um servo dEle, para fazer algo que Ele precisa que façamos. E nossa tendência inicial é “Agora não. Preciso fazer meu negócio dar certo e pagar estas contas primeiro…ou “Estou tentando fazer tal pessoa da minha família se tornar cristã”…ou Isto ou aquilo.

Agora? Não posso agora! Senhor, estou ocupado com coisas mais importantes!

Precisamos nos lembrar do exemplo de Pedro e do quanto o Senhor fez por ele, DEPOIS que ele atendeu o Seu chamado. Pois Jesus disse: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.”(Mateus 6:33)

O reino é dEle. A justiça é dEle. Tudo de fato que há de bom é, e será, dEle. Os nossos planos e projetos, em fim, nossas prioridades podem esperar. Quando um chamado vem dEle, bem aventurado é o homem ou a mulher que sabe esperar para ver o que Ele fará depois que atender àquele chamado.

 

  Copyright © 2005 Germana Downing. Todos os direitos reservados.