Tranqüilidade Natalina?

de Rubel Shelley

 



 

Cenas de neve suavemente caindo. Um homem tranquilo e uma mulher serena olham para um bebê adormecido. Um bebê tão sem igual que – diz pelo menos uma canção em inglês – “nenhum choro ele fez." Pastores adorando. Animais mansinhos numa luz dourada. É a cena tradicional de Natal que é reproduzido nesta época do ano.

Eu posso imaginar muitas pessoas passando de longe de uma cena tão calma e encantanda este ano. A vida é complexa e dura. Há ansiedades. Pessoas estão preocupadas sobre impostos e problemas de saúde, crises familiares e problemas pessoais. É uma realidade bem distante daquele primeiro e tenro Natal. Ou, será que é?

Olhe um pouco além da propaganda, e considere os fatos!

César Augusto exigiu que todas as pessoas registrassem em um censo por causa do programa de tributação romano – que as pessoas temeram e ressentiram.

Maria estava no último mês de uma gravidez – mais de cento e cinquenta quilômetros de casa e sem a mãe dela ou uma parteira.

José certamente sentia uma mistura de medo sobre o estado precário de Maria e irritação por não ter nenhum alojamento melhor para ela do que um abrigo de animais.

Antes mesmo daquela noite desastrada, José e Maria haivam sido objetos de cochichos e fofocas numa cultura repleta de vergonha devido à gravidez dela.

Pastores estiveram lá, tudo bem, mas eles estavam mais confusos que qualquer outro por causa daquilo que eles estavam vendo e tentando entender.

Não há nenhum motivo para pensar que o abrigo ou a caverna onde tudo isso transcorria era qualquer coisa, a não ser fedorento e barulhento como sempre – só interrompido naquela noite pelos gemidos de uma mãe em trabalho de parto e os gritos de um recém-nascido.

Deus veio estar conosco em meio a todas as coisas humanas.

Se você estiver tentado a se distanciar do Natal este ano por causa de estresse, finanças, vergonha, problemas familiares, ou o caos da vida comum, não faça isso! A mensagem de Natal é que Deus veio estar conosco em meio a todas as coisas humanas. Já que a experiência humana é tão desafiadora, fique sabendo que Deus anseia estar com você neste nada-tranquilo mundo de 2010.

A presença de Deus não é determinada pela ausência de problemas. É uma presença destinada a contrariar a noção que você esteja só nas suas dificuldades e crises. É uma presença planejada a prover esperança e coragem em tempos escuros:

“A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe chamarão Emanuel”, que significa “Deus conosco”. (Mateus 1:23).

Natal diz que Deus sabe e se importa; nestes tempos nada tranquilos, Ele veio estar com você por meio de Jesus.

[Gostou da reflexão? Envie o link www.iluminalma.com/vec/1012/20-tranquilidade.html a um amigo ou colega. Vamos espalhar as Boas Novas! Que Deus lhe abençoe.]



  Copyright © 2010 Rubel Shelley. Todos os direitos reservados.