Eu-vangelho

de Jairo Larozza

 



 

“...estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a acertam.” (Mateus 7.14)

O filósofo Maquiavel dizia que “os fins justificam os meios”. Vale isso também para a fé? Seja de qual religião ou filosofia, em geral o ser humano faz de tudo para conseguir o que deseja. Basta ver templos, sinagogas, mesquitas, terreiros lotados de pessoas pedindo, rogando, implorando, fazendo promessas, sacrifícios ou coisas parecidas. Digo isso com todo respeito à dignidade das exceções.

Para mim, depois da palavra “porta”, a mais importante do verso é “poucos”. Para viver o Cristianismo em sua essência e não fingimento, é preciso levar o ego até a Cruz de Cristo – e deixá-lo todos os dias lá – conscientemente, individualmente, integralmente. Isso é e sempre será para muito poucos.

Só conseguimos isso através da graça de Jesus. O centro do Cristianismo é Cristo, e não o meu umbigo. A tradução simples da palavra “evangelho” (do grego) é “notícia boa”, ou “boa nova”. Mas a realidade do “eu-vangelho” não é nova nem boa. Nosso coração nos engana.

Por isso me entrego mais uma vez à vontade de Cristo, deixando minhas vontades, desejos e necessidades aos pés Daquele que possui definitivamente todo poder sobre inícios, meios e fins.

Veja também de Jairo Larozza "Felicidade", e faça uma visita ao blog de Jairo em www.jairolarroza.blogspot.com/.



  Copyright © 2011 Jairo Larozza. Todos os direitos reservados.