Um Momento Fatal

de Henry Blackaby

 



 

[*** Continuamos com a segunda reflexão de Henry Blackaby na nossa série Pós-Páscoa. Fique à vontade para compartilhar com amigos e colegas, sempre incluíndo os links para o site e as referências à autoria. Deus lhe abençoe e feliz Pós-Páscoa.]

Às vezes seu espírito deve exigir supremacia sobre sua carne. Seu espírito saberá o que o Senhor quer que você faça, mas sua carne implorará para ser satisfeita.

Há vezes em que devemos rejeitar o sono, mesmo quando estivermos exaustos, porque seria desastroso descansar em tal hora. Quando o Senhor mandar você “vigiar e orar”, é fundamental que você obedeça.

Quando Jesus orou no Jardim de Getsêmani, Ele sabia que o auge do Seu ministério estava chegando. Ele estava consciente do fato de que as legiões do inferno estavam ordenando e enviando suas forças para derrotá-Lo.

Se havia um momento crítico no qual Seus amigos mais íntimos deveriam cercá-Lo com oração, aquela era a hora. Jesus lhes disse que estava profundamente angustiado, até o ponto de morte.

Com certeza eles poderiam ter sentido pela intensidade da Sua voz e pela urgência da sua aparência, e poderiam ter encontrado as forças para obedecer ao Seu pedido.

Mas apesar disso, Ele os encontrou dormindo. Sem desculpas. Eles adormeceram no momento mais crucial da história humana, e não apenas uma, mas três vezes!

Jesus lhe pede para se juntar a Ele no que Ele está fazendo.
Pode ser que Ele lhe peça para vigiar e orar por uma hora.
Você poderá ter que negar seus desejos e necessidades físicas para orar com Ele.

Pode ser que você terá que deixar o conforto da sua cama ou da sua casa.
Pode ser até que você terá que sacrificar sua segurança para estar onde Jesus está.

Tente trazer todo desejo físico sob o controle do Espírito Santo, para que nada o impeça de realizar o que Jesus está lhe pedindo para fazer.


Veja a imagem especial de Marcos 14:38 e leia também de Henry Blackaby Indo Além com Deus


Do livro "Experiencing God Day by Day" (Experimentando Deus Dia Após Dia), Copyright 2006 de Henry e Richard Blackaby. Este artigo foi traduzido por Germana Downing para o site www.iluminalma.com. Esta tradução é Copyright © 2012 Germana Downing para a língua portuguesa. Todos os direitos reservados.

  Copyright © 2012 Henry Blackaby. Todos os direitos reservados.